Trump x Biden: entenda como os planos fiscais podem impactar o seu investimento nos EUA

Vagner Quito, Head of International Tax Services - 11 de novembro de 2020

Passada a eleição presidencial dos Estados Unidos há uma situação ainda indefinida, porém com uma expectativa de que o Joe Biden tenha sido o vitorioso na disputa. É importante ter em mente que a vitória foi baseada em uma estimativa dos veículos de imprensa e, portanto, não é uma informação oficial.

Dentre os temas debatidos no processo eleitoral, tivemos as iniciativas fiscais pois como uma ferramenta para tirar o país de uma eventual crise econômica, em virtude do impacto da pandemia da COVID-19. Neste artigo traremos as principais propostas de ajustes fiscais trazidas a debate pelos candidatos à presidência dos Estados Unidos que poderão impactar as estruturas de estrangeiros que investem nos Estados Unidos.

O centro de política tributária dos EUA estima que o plano fiscal de Trump reduziria em cerca de US$ 1 Tri os impostos entre os anos de 2021 e 2030, enquanto o plano de Joe Biden aumentaria em quase US$ 4 Tri a carga tributária do país, sendo os ricos os mais afetados nas mudanças propostas pelo candidato Democrata à presidência. Primeiramente, vale lembrar que a tributação de investimentos nos Estados Unidos varia conforme a forma de investimento, se diretamente no nome pessoal ou se por meio de uma empresa, que pode ser uma LLC/Partnership ou C-Corporation:

Limited Liability Company – LLC

As LLCs são empresas “pass-through” para o fisco norte-americano, isso significa que elas são transparentes para fins fiscais, incidindo toda a tributação diretamente em seus sócios. De forma simples, esse tipo de empresa não paga impostos, o responsável por pagar os impostos são seus sócios.

1. Imposto de Renda Federal

Atualmente, este tipo de estrutura está sujeito ao Imposto de Renda no nível pessoal dos sócios, conforme tabela progressiva de 10% a 37% sobre o lucro fiscal, seguindo a tabela progressiva abaixo:

Imposto de Renda

Democratas 

O plano de Joe Biden prevê o aumento da última faixa da alíquota de imposto de renda individual de 37% para 39,6%, mesma tributação máxima antes da Reforma Tributária do presidente Trump, ficando todas as outras faixas nas mesmas alíquotas em vigor. Além disso, os sócios de empresas pass-through  que possuam mais de $400,000 de renda não poderão se beneficiar da dedução de 20% da base de cálculo do imposto.

Republicanos

Em contrapartida, Donald Trump pretende manter os benefícios tributários da reforma implementada em 2018, estendendo o prazo de validade conhecida “Tax Cuts and Jobs Act”, que findará em 2025.

 

2. Imposto de Ganho de Capital

Atualmente a sistemática de cálculo do imposto sobre o ganho de capital está associada ao período em que o investidor permanece com o ativo em carteira. Para ativos detidos por até um ano, a  tributação do ganho de capital, respeita a alíquota progressiva de imposto de renda de 10% a 37%, conforme tabela compartilhada acima, é o chamado short-term capital gain tax. Já para o ganho de capital auferido na venda de ativos detidos por um período superior a um ano, denominado long-term capital gain tax, a tributação varia de 0% a 20%, conforme tabela abaixo:

Imposto de ganho de capital

Democratas

De acordo com o plano de Joe Biden, os ganhos que excederem $1 milhão serão tributados de forma escalonada pela sistemática do imposto sobre rendimentos que vai de 10% a 39,6%. Para ganhos abaixo de $ 1 milhão, as regras atuais mencionadas no parágrafo anterior  se manteriam as mesmas.

Republicanos

O presidente Trump, inicialmente, cogitou propor um corte no imposto sobre ganho de capital. Porém, diante da incerteza de conseguir implementar a proposta e do impacto que poderia causar nas contas públicas, ajustou o discurso para uma proposta de eliminação da última faixa de tributação (20%), tornando a tributação sobre os ganhos de capital mais branda para quem obtiver lucros superiores a US$ 441,450 ao ano na venda de ativos.

 

C-Corporation

As C-Corporations são empresas com identidade fiscal própria, ou seja, devem entregar o imposto de renda e pagar os impostos ao fisco norte-americano. Por possuir identidade legal e tributária independente, não há necessidade dos seus sócios emitirem um número fiscal para envio da declaração de imposto de renda a nível pessoal.

1. Imposto de Renda e Ganho de Capital

Este tipo de estrutura, diferente das empresas transparentes para fins fiscais, está sujeita ao Imposto de Renda a uma alíquota fixa (flat) de 21% sobre o lucro fiscal, seja ele fruto de rendimentos, juros ou ganho de capital.

Em seu plano tributário, Joe Biden propôs aumentar a alíquota fixa de imposto de renda dos atuais 21% para 28%.

Já o presidente Trump sinalizou que vai pressionar para reduzir a alíquota do imposto corporativo de 21% para 20% por cento se for reeleito.

 

Ativore International Tax – Invista no exterior e nós cuidamos do seu patrimônio

O crescente interesse dos segmentos private wealth pela diversificação internacional enfrenta barreiras, como a escassez de informações e de aconselhamento qualificado, devido à complexidade de gerir obrigações fiscais em vários países envolvendo múltiplos prestadores de serviços.

É fundamental estar atualizado sobre as mudanças no cenário tributário brasileiro e norte-americano, visando buscar oportunidades de melhoria da estrutura internacional, reduzindo riscos de dupla-tributação e o pagamento de impostos em excesso.

Desenhamos e implementamos estratégias de racionalização tributária e planejamento sucessório para investidores brasileiros no exterior, respeitando simultaneamente às legislações fiscais dos países de residência e de localização de seus investimentos, como realizamos  toda a gestão fiscal e das obrigações acessórias da estrutura do investidor internacional.

Clique aqui e conheça mais sobre nossos serviços de Planejamento e Compliance Internacional.

 


Autores

Vagner Quito – Sócio e Head da Ativore International Tax

Sócio responsável pela área de planejamento tributário e gestão do Compliance Fiscal, Societário e Sucessório de cerca de 110 estruturas internacionais, que totalizam mais de R$500 milhões de reais em investimentos. Especialista em Gestão Financeira pela FGV e Auditor Independente Certificado (CNAI), possui 10 anos de experiência em estruturação e gestão de empresas, sendo os últimos 5 dedicados exclusivamente a área internacional.

Victor Barcelos – Sócio e Head of Compliace da Ativore International Tax

Sócio responsável pela equipe de gestão das obrigações fiscais dos investidores internacionais em até três jurisdições (Brasil, Estados Unidos e Offshore). Anteriormente trabalhou na divisão de Financial Services da KPMG, executando e coordenando procedimentos de auditoria contábil de empresas brasileiras e multinacionais. Contador com MBA em Auditoria, Finanças e Controladoria pela Fundação Getúlio Vargas.

Conheça aqui a equipe de gestão da Ativore.

 

Comentários

Nenhum comentário para esse post.

Adicionar comentário